Pensamentos Aleatórios – Golfe

Devo aprender a jogar futebol chutando desde a marca de penalty?

Se ainda não te deste conta, esta é a maneira como muitos professores começam a introduzir o golfe às pessoas: chutando desde a marca de penalty.

Passo a explicar.

Se queres aprender a jogar golfe, não permitas que o professor comece a primeira aula no driving range ensinando o grip, postura, colocação e que logo faça uma palestra sobre as dimensões do swing e de como deves fazer o swing. Acreditem, não é fundamental saber esse tipo de informação para começar.

Seguramente que há muitos jogadores de golfe que tiveram o seu primeiro contacto com o golfe desta forma e que ainda continuam jogando. É incrível como o golfe pode ser viciante! No entanto, o que não sabemos é quantos jogadores poderíamos ganhar se a primeira abordagem tivesse sido outra.

As razões apontadas pelos profissionais que ainda fazem isto são: 1) o golfe é diferente dos outros desportos; 2) é preciso ter um handicap; 3) é preciso saber as regras de etiqueta e 4) é preciso saber a indumentária permitida, etc. A argumentação costuma terminar desta forma “as pessoas não podem ir ao campo até que não entendam a essência deste desporto”. Por estas e por outras coisas é que o golfe está associado a comportamentos elitistas. É lamentável (para não dizer ridículo) que ainda persista este tipo de mentalidade.

Pergunto: Qual é a essência deste desporto? Bater bolas no driving range ou jogar no campo? Se no futebol digo a um miúdo que primeiro tem que saber como chutar para depois levá-lo ao campo, que me diriam os seus pais? Imaginemos que ponho um miúdo a chutar desde a marca de penalty durante 50 minutos dando-lhe feedback durante toda a aula de como chutar correctamente, de como tem que trazer a perna para trás e para a frente, com que parte do pé deve rematar, onde colocar a perna de apoio, etc. Nos primeiros minutos tudo bem, mas de seguida o miúdo começa-se a cansar de mim porque não lhe paro de corrigir e no final, o mais provável é que o miúdo me odeie a mim e odeie futebol. Não me parece que este método seja muito atractivo, certo?

Passa-se o mesmo com os adultos. Em primeiro lugar, as pessoas querem aprender a jogar golfe, não querem aprender a bater bolas. O objetivo do golfe é fazer o menor número de pancadas em 18 buracos, então, aquilo que devo fazer para começar é levar as pessoas ao espaço onde se joga golfe, ou seja, ao campo de golfe e a partir daí deixá-las experimentar e bater várias bolas com vários tacos. Porque não? Não interessa os buracos que possam fazer no fairway (regra nº1 – repor divots). Se quero verdadeiramente oferecer a melhor experiência a uma pessoa que pretende começar a jogar golfe, tenho que levá-la ao campo. Não é preciso complicar.

Entendo que a melhor forma de introduzir o golfe aos adultos e aos jovens é criando uma paixão pelo jogo em primeiro lugar e só depois ajudá-los a compreender como podem melhorar e como podem disfrutar deste desporto ao longo das suas vidas.

Boas tacadas!

Pedro Correia

2 thoughts on “Pensamentos Aleatórios – Golfe

  1. Após ler este pensamento acredito ainda mais na forma como tento iniciar os novos jogadores na modalidade. Criando uma base que permita ao jogador saltar rapidamente do campo de treino para o campo de jogo, desta forma o jogador poderá ter a noção do quanto este desporto e apaixonante, antes mesmo de se aborrecer por passar horas e muitas centenas de tacadas, a tentar bater as bolas a direito para a distancia pretendida.
    O golfe é um jogo, vamos joga-lo como tal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s