Fat Burn Boot Camp – Resultados

resultadosfinal

Chegou ontem ao fim a primeira edição do Fat Burn Boot Camp em Lisboa (um programa integrado de treino ao ar livre em grupo, treino personalizado e aconselhamento nutricional) e posso dizer que dificilmente poderia ter ficado mais satisfeito com os resultados obtidos e com o grupo que decidiu depositar a sua confiança no nosso trabalho.

Além das evidentes melhorias na composição corporal, todos os nossos atletas melhoraram os seus padrões de movimento fundamentais, bem como os seus níveis de força, resistência, estabilidade, mobilidade e agilidade. Ou seja, todos tornaram o seu corpo mais eficiente e mais funcional.

Tal como era de esperar as pessoas que registaram uma maior transformação foram aquelas que fizeram o programa completo de 12 semanas (que depois estendemos para 15) e que conseguiram combinar a consistência dos treinos semanais em casa com algumas estratégias nutricionais sugeridas por nós, e que foram aferidas individualmente. Além da sessão de treino semanal em grupo propriamente dita, quem participou no programa completo teve um acompanhamento personalizado tanto a nível do treino para casa, como a nível da nutrição.

No total, os resultados foram 22,5 quilos queimados, 55 centímetros perdidos no perímetro de cintura e mais umas quantas doses de treino intensivo, conversas educativas sobre alimentos funcionais e momentos de boa disposição.

O seguinte testemunho de um dos participantes no programa, deixa-nos bastante felizes e com a sensação de dever cumprido.

“Quando me inscrevi no Fat Burn Boot Camp organizado pelo Pedro Correia foi-me enviada uma ficha em que uma das perguntas era em que período da minha vida me tinha sentido em melhor forma…. Não sabia bem o que responder mas hoje, após 2 meses de treino intensivo, conselhos nutricionais e plano de treino personalizados posso dizer com toda a convicção que estou na minha melhor forma de sempre! E amanhã estarei ainda melhor!”    

André Santos, Músico

Obviamente que isto não seria possível realizar sem o vosso empenho e contínuo interesse em melhorar, pelo que gostaria de agradecer o vosso esforço e dizer que foi graças ao vosso esforço que conseguimos obter estes resultados.

Sendo assim, gostava de aproveitar este espaço para felicitar todo o grupo e dizer que para nós foi um prazer conviver convosco ao longo deste período de tempo.

Podem ver algumas fotos do evento aqui.

Um grande abraço a todos e até breve!

Consegue fazer 25 elevações e 50 flexões em 90 segundos?

chin_up_188jk8b-188jkgk

Muitas mulheres pensam que as elevações na barra são um exercício apenas para os homens e que está além das suas capacidades. É verdade que este não é um exercício fácil de realizar, especialmente quando estamos a falar de principiantes, mas com um programa de treino adequado, com vontade e com determinação, tudo é possível, mesmo para aquelas mulheres que se queixam de já ter começado tarde (nota do Pedro: o importante é começar, não interessa se começa com 20 ou com mais de 60, 70 anos).

Neste vídeo poderá ver um exemplo de uma rapariga a fazer 25 elevações e 50 flexões em pouco mais de 90 segundos. Se bem que não aprecie particularmente a forma como ela faz as flexões (com os cotovelos apontados para fora), o facto é que este é um feito que serve como uma lição de humildade para muitos homens adultos que se julgam fortes e como uma fonte de inspiração para as mulheres que pensam que este é um exercício impossível de se fazer.

As flexões e elevações são exercícios fantásticos para melhorar a composição corporal, e para fazê-los só precisa do peso do corpo e de uma barra, nem precisa de ir ao ginásio.

Tal como costumo dizer aos meus atletas, difícil é diferente de impossível e se fosse fácil toda a gente fazia.

Até breve!

A minha jornada contra o Cancro – Um Exemplo de Superação

Foto Transf. Pedro

“Olá Pedro, como se sente? Vinha só dizer-lhe que o transplante correu bem e que já pode ficar mais tranquilo”. Foram estas as palavras que ouvi por parte do médico quando fui sujeito a um transplante de medula óssea há cerca de seis anos atrás com a finalidade de tratar um linfoma de hodgkin, uma forma de cancro no sistema linfático. Lembro-me disto e do cheiro estranho a delícias do mar que ficou dentro do quarto. Lembro-me também que nessa altura quase que não tinha forças para me levantar da cama, quanto mais desatar aos saltos para celebrar as boas notícias.

Foram tempos difíceis e esta foi uma etapa importante no culminar do processo. Lembro-me que foi mais ou menos por essa data que o António Lobo Antunes, um dos maiores escritores portugueses da nossa história, revelou ao público através das suas crónicas semanais na revista Visão, que ele também estava a sofrer de uma condição parecida. Lembro-me de nessa crónica ele dizer, entre outras coisas, que sentia a morte dentro dele e que nunca imaginava o quão decadente pode tornar-se a vida humana quando tem que enfrentar estas situações. Não diria melhor. Foi um texto simples, profundo e ao seu melhor estilo – único e autêntico.

Este artigo vem a propósito da superação. Da nossa capacidade individual em superar os obstáculos que encontramos na nossa vida, da nossa capacidade em superar desafios e da nossa vontade em ir além do limite (que nós inconscientemente definimos todos os dias). É verdade que não conseguimos controlar tudo aquilo que nos acontece mas se há uma coisa que todos nós podemos controlar nas nossas vidas é a nossa atitude.

É a atitude que faz a diferença. É a nossa atitude que, em última instância, vai determinar o nosso esforço. O nosso esforço para conseguirmos superar uma doença, o nosso esforço para emagrecermos, o nosso esforço para ficarmos mais fortes, mais rápidos, mais ágeis, o nosso esforço na preparação de uma entrevista de trabalho, o nosso esforço para melhorarmos competências, o nosso esforço para aprendermos todos os dias, o nosso esforço para melhorarmos a qualidade de vida, o nosso esforço para servirmos melhor os outros, etc. Eu acredito que, com esforço, vontade e determinação, é possível alcançar quase tudo.

A grandeza é uma questão de mentalidade. É normalmente a nossa mente o nosso principal obstáculo. Nós estabelecemos limites pessoais de forma insconsciente e julgamos que não é possível superá-los. É mais ou menos comum ouvirmos algumas pessoas dizer que já não podem fazer isto ou aquilo porque já não têm idade, porque já não têm forças e/ou porque não têm tempo. Quando ouço este tipo de coisas tento sempre dar exemplos de histórias inspiradoras, pessoas e estratégias para ultrapassar essas barreiras.

Querer é poder. Se quiser realmente alcançar um objetivo que é importante para si vai encontrar um caminho, se não quiser, vai (irremediavelmente) encontrar uma desculpa. Pense nisto.

Cada dia que passa é uma oportunidade para melhorar. Se eu pensasse que não tinha forças para superar a quimioterapia e a radioterapia a que fui sujeito durante a fase em que estive doente, provavelmente já não estaria aqui a escrever estas linhas. Se eu pensasse que seria impossível melhorar com este tipo de intervenção, provavelmente não iria melhorar. Ou seja, mesmo sabendo que fazia parte do processo: vomitar todos os dias várias vezes, perder o cabelo, perder as forças, perder a vontade de comer, passar noites em claro (ora porque tinha pesadelos, ora porque alguém chamava pelos enfermeiros), separar-me dos amigos, passar várias semanas isolado num quarto, falar com as pessoas através de um vidro e perder a capacidade de fazer a maior parte das coisas que gostava de fazer, achei que era importante aguentar e pensar “amanhã vai ser melhor”. O processo fez mossa e deixou marcas. E essas marcas vão ficar para o resto da vida.

As pessoas que me acompanharam de perto neste processo, a minha mãe, o meu pai, o meu irmão, a equipa de médicos, enfermeiros e auxiliares, alguns familiares e amigos, viram como fiquei e é também graças a elas que recuperei e graças às escolhas que fiz durante estes últimos anos que, neste momento, sinto-me na melhor forma da minha vida.

A superação começa na nossa cabeça e reflete-se nas nossas ações. Se o seu objetivo é emagrecer, cuide da sua alimentação, coma menos vezes em restaurantes e beba menos álcool. Se o seu objetivo é ficar mais forte, mais rápido e mais ágil, treine, coma melhor e invista num treinador certificado. Se o seu objetivo é ser o melhor do seu ramo, invista nas suas competências, invista nas várias áreas que têm um papel fundamental no sucesso do seu trabalho e rodeie-se de pessoas com as mesmas ambições. Se o seu objetivo é viver com maior qualidade de vida, durma bem, coma bem, treine bem, procure uma ou várias modalidades que sempre quis experimentar e disfrute de momentos únicos com a sua família, companheiro(a) e amigos.

Todos nós passamos por situações difíceis e, a avaliar por aquilo que presenciei no hospital durante esta jornada, há sempre alguém que está pior que nós.

Este foi o meu maior exemplo de superação pessoal até hoje.

Partilhem também os vossos.

Até breve!