A minha jornada contra o Cancro – Um Exemplo de Superação

Foto Transf. Pedro

“Olá Pedro, como se sente? Vinha só dizer-lhe que o transplante correu bem e que já pode ficar mais tranquilo”. Foram estas as palavras que ouvi por parte do médico quando fui sujeito a um transplante de medula óssea há cerca de seis anos atrás com a finalidade de tratar um linfoma de hodgkin, uma forma de cancro no sistema linfático. Lembro-me disto e do cheiro estranho a delícias do mar que ficou dentro do quarto. Lembro-me também que nessa altura quase que não tinha forças para me levantar da cama, quanto mais desatar aos saltos para celebrar as boas notícias.

Foram tempos difíceis e esta foi uma etapa importante no culminar do processo. Lembro-me que foi mais ou menos por essa data que o António Lobo Antunes, um dos maiores escritores portugueses da nossa história, revelou ao público através das suas crónicas semanais na revista Visão, que ele também estava a sofrer de uma condição parecida. Lembro-me de nessa crónica ele dizer, entre outras coisas, que sentia a morte dentro dele e que nunca imaginava o quão decadente pode tornar-se a vida humana quando tem que enfrentar estas situações. Não diria melhor. Foi um texto simples, profundo e ao seu melhor estilo – único e autêntico.

Este artigo vem a propósito da superação. Da nossa capacidade individual em superar os obstáculos que encontramos na nossa vida, da nossa capacidade em superar desafios e da nossa vontade em ir além do limite (que nós inconscientemente definimos todos os dias). É verdade que não conseguimos controlar tudo aquilo que nos acontece mas se há uma coisa que todos nós podemos controlar nas nossas vidas é a nossa atitude.

É a atitude que faz a diferença. É a nossa atitude que, em última instância, vai determinar o nosso esforço. O nosso esforço para conseguirmos superar uma doença, o nosso esforço para emagrecermos, o nosso esforço para ficarmos mais fortes, mais rápidos, mais ágeis, o nosso esforço na preparação de uma entrevista de trabalho, o nosso esforço para melhorarmos competências, o nosso esforço para aprendermos todos os dias, o nosso esforço para melhorarmos a qualidade de vida, o nosso esforço para servirmos melhor os outros, etc. Eu acredito que, com esforço, vontade e determinação, é possível alcançar quase tudo.

A grandeza é uma questão de mentalidade. É normalmente a nossa mente o nosso principal obstáculo. Nós estabelecemos limites pessoais de forma insconsciente e julgamos que não é possível superá-los. É mais ou menos comum ouvirmos algumas pessoas dizer que já não podem fazer isto ou aquilo porque já não têm idade, porque já não têm forças e/ou porque não têm tempo. Quando ouço este tipo de coisas tento sempre dar exemplos de histórias inspiradoras, pessoas e estratégias para ultrapassar essas barreiras.

Querer é poder. Se quiser realmente alcançar um objetivo que é importante para si vai encontrar um caminho, se não quiser, vai (irremediavelmente) encontrar uma desculpa. Pense nisto.

Cada dia que passa é uma oportunidade para melhorar. Se eu pensasse que não tinha forças para superar a quimioterapia e a radioterapia a que fui sujeito durante a fase em que estive doente, provavelmente já não estaria aqui a escrever estas linhas. Se eu pensasse que seria impossível melhorar com este tipo de intervenção, provavelmente não iria melhorar. Ou seja, mesmo sabendo que fazia parte do processo: vomitar todos os dias várias vezes, perder o cabelo, perder as forças, perder a vontade de comer, passar noites em claro (ora porque tinha pesadelos, ora porque alguém chamava pelos enfermeiros), separar-me dos amigos, passar várias semanas isolado num quarto, falar com as pessoas através de um vidro e perder a capacidade de fazer a maior parte das coisas que gostava de fazer, achei que era importante aguentar e pensar “amanhã vai ser melhor”. O processo fez mossa e deixou marcas. E essas marcas vão ficar para o resto da vida.

As pessoas que me acompanharam de perto neste processo, a minha mãe, o meu pai, o meu irmão, a equipa de médicos, enfermeiros e auxiliares, alguns familiares e amigos, viram como fiquei e é também graças a elas que recuperei e graças às escolhas que fiz durante estes últimos anos que, neste momento, sinto-me na melhor forma da minha vida.

A superação começa na nossa cabeça e reflete-se nas nossas ações. Se o seu objetivo é emagrecer, cuide da sua alimentação, coma menos vezes em restaurantes e beba menos álcool. Se o seu objetivo é ficar mais forte, mais rápido e mais ágil, treine, coma melhor e invista num treinador certificado. Se o seu objetivo é ser o melhor do seu ramo, invista nas suas competências, invista nas várias áreas que têm um papel fundamental no sucesso do seu trabalho e rodeie-se de pessoas com as mesmas ambições. Se o seu objetivo é viver com maior qualidade de vida, durma bem, coma bem, treine bem, procure uma ou várias modalidades que sempre quis experimentar e disfrute de momentos únicos com a sua família, companheiro(a) e amigos.

Todos nós passamos por situações difíceis e, a avaliar por aquilo que presenciei no hospital durante esta jornada, há sempre alguém que está pior que nós.

Este foi o meu maior exemplo de superação pessoal até hoje.

Partilhem também os vossos.

Até breve!

35 thoughts on “A minha jornada contra o Cancro – Um Exemplo de Superação

  1. Parabéns rapaz pela superação, não imagino nem metade desse terror apesar de ver bastantes casos.
    Parabéns e continua! Grande Força.

    PS: A diferença nas fotos é brutal.🙂

    Abc.

  2. Bom dia Pedro! Sou uma fã do fitness e desporto, vivo numa pequena aldeia em que os acessos a ginásios, são um pouco limitados, o mais próximo fica acerca de 30 km. Foi quando pesquisava sobre treinos que me deparei com o seu blog e li este post. Não é fácil, entendo perfeitamente pelo que passou e infelizmente ao meu lado tenho também um exemplo disso. A minha mãe, grande mulher, que superou um tumor maligno metastizado e sobreviveu contra todos os prognósticos. Tinha hábitos de vida sedentários e depois de ter passado por todo este processo (com a agravante de que tenho um irmão tetraplégico, deficiente profundo e que era ela que cuidava dele) consegui que aos poucos passasse a ser mais activa, com o pouco conhecimento que tenho. Perdeu 15kg até ao momento e no Hospital aplaudem o seu esforço e dedicação à vida. São pessoas como ela e como o Pedro, que nos fazem acreditar que a vida é Bela e estamos cá, não para nos lamentar, mas para VIVER. Está de parabéns, pela sua força, determinação coragem, dedicação e sobretudo por trazer até nós um pouco do seu conhecimento. Atenciosamente Carla.

  3. Boa noite Pedro,

    Depois de descobrir um texto do António Lobo Antunes, acerca do quanto é difícil ultrapassar uma doença oncológica, encontrei o teu blog e o teu testemunho sobre a experiência vivida também em luta contra a doença.

    Imagino que muitas pessoas te escrevam, partilhando as suas histórias de vida e falando das suas doenças, ficando à espera que lhes dês um pouco de alento!…

    Decidi escrever aqui algumas palavras porque também penso ter superado o cancro de mama que me foi diagnosticado em Abril de 2012. Depois de confirmado o diagnóstico, fiz mastectomia +esvaziamento axilar, quimioterapia, radioterapia e agora, e durante um longo período, hormonoterapia.

    Foi um ano difícil o de 2012, mas depois de ultrapassada a fase dos tratamentos comecei a sentir-me eu outra vez, com a mesma força e jovialidade que me caracterizam!

    Revejo-me em cada palavra do teu testemunho!

    Despertas-te a minha atenção de tal forma que pela 1a vez estou a escrever a alguém e a falar sobre o que verdadeiramente me assusta: e se volto a ficar doente?

    Tive sempre uma atitude positiva e esperançada em relação à doença, e as coisas foram correndo sempre muito bem! Estive sem poder trabalhar durante 9 meses e quando pude regressar não consegui aguentar tamanha alegria! Depois de algum tempo comecei a fraquejar, a pensar em tudo o que tinha passado e as lágrimas que até então não tinham surgido começaram a correr pelo meu rosto desalmadamente! Não compreendi, ofereceram-me ajuda, disseram que era normal e, entretanto, fui-me recompondo.

    Desde que recomecei a trabalhar que dou tudo o que tenho, que me deixo envolver sem reservas e de uma forma tão intensa que nunca tinha atingido metas e objectivos com tamanha eficácia! Quero fazer cada vez mais e melhor e mudar para melhor tudo e todos aqueles que me rodeiam!

    Cada estacão do ano passada é um objectivo superado! Agora que estamos a chegar ao Natal, não sei se pela carga emotiva desta quadra, tenho tido alguma dificuldade em gerir sentimentos como a alegria de estar viva e o medo de voltar a ficar doente! Ando consumida, com um aperto no peito tão grande, que por vezes, até tenho medo de rebentar!…

    Espero com ansiedade o início do processo da reconstrução mamária e para isso tenho de perder peso, uma tarefa um pouco difícil para mim!…

    Peço desculpa por invadir este teu espaço, e falar assim como se te conhecesse, mas quando li o que escreveste identifiquei-me com tantas coisas!…

    Um forte abraço e os votos para que continues saudável e com o dinamismo que demonstras nas diversas áreas! Parabéns!

    Sofia Ventura

    • Olá Sofia,

      Obrigado pelas palavras de apoio e por partilhar também o seu testemunho pessoal.

      Eu também passei por esses mesmos receios em voltar a ficar doente, com medo que o linfoma voltasse e tinha pesadelos com isso. Mas felizmente tudo passou e agora sinto-me na melhor forma de sempre (mesmo!). E a Sofia também consegue, é só uma questão de mentalidade e de acreditar que realmente nós temos o poder para melhorar as nossas vidas em cada instante que vivemos.

      Um forte abraço e votos de muita saúde!

  4. Deixa-me dizer-te que, felizmente, não passei por nada do género que tu passaste, “apenas” presenciei o sucumbir da minha mãe por essa maldita “praga” (cancro), vejo as coisas dessa maneira, a saúde é o bem mais importante que temos na vida. O resto corremos atrás, porque temos saúde para isso. O problemas na vida, no fundo, não são problemas, problema mesmo é cair numa cama de hospital com uma doença que pode ser terminal, isso sim! Fiquei emocionado com a tua história, não consegui conter as lágrimas. Teria muito mais para te dizer porque vejo a vida de uma forma tão parecida como a que descreves no teu texto, mas penso que o pouco que deixo aqui será o suficiente para perceberes o que senti ao ler o teu testemunho e que existe mais gente que tal como eu, todos os dias, tenta passar uma mensagem positiva a quem vai aparecendo na vida com os tais problemas, que no fundo, não são problemas. Parabéns Pedro pela determinação. Sou desportista desde sempre (futebol) e imagino a importância de teres conseguido voltar com mais energia e teres reconquistado a coisa mais valiosa da nossa vida, a saúde! Grande abraço!

  5. Também eu estou a passar por algo semelhante. É assim mesmo que temos que encarar as surpresas menos boas. É um desafio dificil, mas possível de superar. Para a frente sem vacilar, foram as palavras de um amigo, também ele com cancro, que nunca esqueci. Força e sê f
    eliz

  6. Encontrei o seu blog e quis deixar um comentário.
    Parabéns! Um exemplo de vida! Desejo muita força e olhos para a frente com um sorriso!

  7. Correia, és um exemplo de que vale a pena viver mesmo quando aparecem inúmeras adversidades. A nossa mente é fantástica, quando queremos realmente atingir um objectivo e acreditarmos no percurso para alcança- lo, conseguimos atingi-lo com sucesso. A isto chama-se coragem! Um bem haja! Beijinhos e abraços Ana e Miguel.

  8. A coragem só se manifesta verdadeiramente,quando o ser humano é confrontado com a morte e o medo faz com que reaja de forma heroica. São os momentos de grande temor que criam os heróis, quer num campo de batalha de guerra quer no outro de batalha pela saúde. Esses heróis é que devem servir de exemplo nos momentos difíceis, e aqui apareceram alguns.

  9. Estava a ver a tua foto de 2008 e a pensar que um ano depois, no meu casamento já ninguém diária que tinhas estado doente… Acompanhei a tua situação através do Spínola e foste (e és) uma grande inspiração tanto para ele como para mim… Torcemos sempre por ti e ficávamos felicíssimos quando sabíamos que tinhas melhorado… A tua vitória foi um grande exemplo principalmente qd a mãe do Spiny passou tb por um cancro… Vcs, sobreviventes, são a nossa inspiração… O que nos impede de baixar os braços e nos faz tentar ser melhor… Adoro o teu trabalho, sigo os teus post’s e acho que é verdadeiramente importante o trabalho que desenvolves. Adoro quando usas a rua mãe como exemplo.!!! Mto sucesso Pedro, mta sorte na vida, muita superação e que continues a usufruir da tua vida como tens feito até agora. 💙

  10. Tu realmente és um exemplo a seguir! És GRANDE a todos os níveis. Estás de Parabéns! Adorei as tuas palavras… Continua a inspirar muita gente com o teu exemplo e com o teu excelente trabalho… Beijo grande.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s