Review Crossgen Beef Protein

crossgen_beef-protein-4lbs-1814g_1

A Crossgen Nutrition é uma marca recente  no mercado que foi concebida para satisfazer as necessidades daqueles que fazem treino de alta intensidade, e está a tornar-se bastante famosa no mundo do Cross Fit e no mundo Paleo (previsivelmente porque o soro de leite / whey é derivado do leite).

Há algum tempo atrás, foi-me dada a oportunidade de experimentar a proteína de bife desta marca. Tal como prometido, vamos à revisão.

A Crossgen Beef Protein é uma proteína hidrolisada de carne com um teor proteico de 81,1 %, 8,2% de hidratos de carbono e 4% de gordura – estes valores são por cada 100 gramas. Sendo hidrolisada, esta proteína contém várias enzimas digestivas, que permitem uma absorção mais rápida. Uma vez que a sua origem é da carne, não tem o açúcar do leite (lactose), um composto que pode aumentar a inflamação no intestino e que costuma causar vários problemas gastrointestinais nas pessoas mais sensíveis ao leite. Por vir da carne, calculo que terá também um teor mais elevado de creatina.

Na sua composição, podemos ver também que esta proteína é adicionada de leite de côco em pó, proteína de ovo (albumina), glutamina, BCAA’s (leucina, isoleucina e valina), cetoglutaratos de ornitina (O-AKG), arginina (A-AKG) e glutamina (G-AKG), monohidrato de creatina, enzimas digestivas, vitaminas, minerais, cacao magro em pó e stevia, um composto natural que “parece” ser mais seguro que os habituais edulcorantes encontrados neste tipo de produtos (refiro-me particularmente ao aspartame, acesulfame-K e sucralose). E digo “parece” porque a stevia ainda é um composto relativamente novo nestas andanças. A frutose também é um composto natural e, no entanto, pode causar muitos problemas.

Em relação às proteínas hidrolisadas do soro de leite / whey que conheço, o perfil de macronutrientes é parecido, no entanto, a meu ver, uma das grandes limitações é não indicarem a quantidade de BCAA’s, creatina, glutamina, de cetoglutaratos e de albumina. Eu ainda perguntei porquê que isso não vinha indicado, mas a resposta deles foi que isso fazia parte dos direitos de propriedade da marca, e como tal não podiam divulgar essa informação. Enfim, pelo menos tentei saber.

O perfil de micronutrientes (vitaminas e minerais), principalmente no que diz respeito às vitamina do complexo B (muito importantes no metabolismo energético), parece ser mais rico que nas outras proteínas que conheço.

No que diz respeito aos efeitos na performance e na adaptação ao treino, não tenho conhecimento de estudos comparativos entre a whey e a proteína de bife, portanto, vou limitar-me a partilhar a minha pequena experiência pessoal, que vale o que vale. Eu não sou um grande consumidor deste tipo de produtos (acredito mais numa dieta aperfeiçoada e na suplementação cirúrgica) e a razão pela qual aceitei a oferta da marca, foi porque pareceu-me um suplemento proteico relativamente seguro e interessante, quando comparado com os outros que por aí andam à venda.

Aliás, uma das primeiras perguntas que fiz foi: “Podem-me dizer se os animais são alimentados a pasto? A resposta foi: “Sim, os nossos suplementos são, de facto, produzidos com processos de agricultura biológica, e isso é o que nos diferencia dos nossos concorrentes.” Portanto, vamos acreditar que isto é verdade.

Em relação ao sabor, escolhi o fresh coconut, mas fiquei um pouco desiludido com o sabor. Estava à espera de um gosto maior a côco. Senti mais gosto a bife que a côco. Achei também a proteína demasiado doce para o meu gosto (se calhar demasiados glicosídeos da stevia). Fora estas considerações pessoais, no que diz respeito à performance, senti realmente que consegui recuperar mais rapidamente, e, se calhar, render um pouco mais nos treinos – estou a falar de treinos de força e treinos de alta intensidade. Isto foi exatamente aquilo que disse à marca.

Conclusão, a Crossgen Beef Protein pode ser uma alternativa interessante à proteína de whey, é capaz de ter mais creatina, não tem os edulcorantes artificiais que a maior parte dos produtos deste género têm, não tem glúten, não tem lactose, constituindo, à partida, uma opção mais segura e saudável, para quem tem maiores exigências no treino e, sobretudo, para quem quer maximizar a performance nos treinos de força e alta intensidade.

Querem ganhar uma Crossgen Beef Protein? 

Como contrapartida, a marca disponibilizou-se em oferecer uma embalagem, para sortear entre os leitores deste blog e página do Facebook, pelo que, para se habilitarem a ganhar, aquilo que precisam de fazer é: 1) fazer Like na página da Crossgen Nutrition, 2) deixar um comentário na minha página Pedro Correia Training (o Like também é preciso aqui), na imagem alusiva ao concurso – a mesma imagem que acompanha este post e 3) no comentário têm que dizer quais são os vossos objetivos no treino e quais são os vossos três desportos favoritos.

O vencedor ou vencedora será escolhido por mim e receberá uma Crossgen Beef Protein na sua casa. O concurso vai até à próxima terça-feira, dia 1 de Outubro.

Participem e até breve!

2 thoughts on “Review Crossgen Beef Protein

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s