Pão de Côco (sem glúten)

Pão de Côco PC Training

No outro dia decidi aventurar-me na cozinha e acabei por fazer um pão de côco, sem glúten e sem açúcar, que pode servir como uma alternativa saudável e muito mais nutritiva que o “pão normal”. A julgar pela densidade dos nutrientes que leva é mais que provável que este dure mais tempo na sua casa e no seu corpo.

Tenho recebido alguns feedbacks sobre o pão de linhaça que tinha partilhado há mais tempo (eu até gostei mas pelos vistos algumas pessoas pensavam que este seria melhor – se calhar faltavam as substâncias aditivas e inflamatórias do trigo e do glúten), mas acho que este pode ser mais interessante e mais saboroso. Depois digam-me se é verdade.

A receita:

1 chávena de farinha de côco

7 ovos (separar 3 gemas das claras)

4 colheres de sopa de manteiga clarificada ou ghee

3 colheres de sopa de leite de côco ou iogurte grego natural

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 pitada de flor de sal

Como fazer:

1) Misturar todos os ingredientes num recipiente;

2) Mexer os ingredientes com uma colher de pau;

3) Depois de bater as três claras em castelo, juntar à massa, voltar a mexer com a colher de pau e amassar bem com as mãos;

4) Colocar a massa numa forma rectangular (pode usar outra forma se quiser), depois de untar o recipiente com óleo de côco ou manteiga e levar ao forno a cozer a 180º Celsius durante 50 minutos aproximadamente.

Ingredientes:

Os ingredientes menos comuns (farinha de côco, ghee e leite de côco sem aditivos) podem encontrar numa loja de dietética, como por exemplo: Celeiro, Terra Pura, Miosótis e Biocoop. Os restantes ingredientes (ovos, iogurte grego natural, bicarbonato de sódio e flor de sal) podem encontrar nos supermercados comuns.

Nota do Pedro: Este pão não é recomendável para quem só conta calorias e está pouco preocupado com a funcionalidade das mesmas🙂.

Até breve e bom apetite!

11 thoughts on “Pão de Côco (sem glúten)

  1. Olá! Sei que não tem nada a ver com o posto mas…

    É assim, neste momento estou a ultrapassar uma fase um bocado má…estou em processo de um disturbio alimentar, anorexia nervosa! Sempre que como mais do que costumo comer, ou mais HC..fico sempre com peso na consciencia (mas nunca nunca provoquei vómito)…e sempre que tal acontece tento compensar ou no dia seguinte ou nas refeiçoes seguintes.. Eu tenho noção que tenho de comer, e aumentar um bocado o peso…mas até o fazer…vai um grande passo! Tenho medo de engordar (que vá tudo para a barriga, e que depois fique com banhas! Fico sempre a pensar nisso!) Neste momento tenho um IMC de 14,5…eu sei que é baixo! Eu agora até medo tenho de comer pão (e dantes adorava), se comer mais que um por dia, fico sempre a matutar naquilo! Controlo muito a alimentação, porque tenho medo de engordar.

    Além disso, tenho a ideia de que se fosse paa o ginásio que conseguia aumentar as porções, pq tinha aquela “segurança” de “gastar” o que comi! (é tudo psicológico). E é isto :s por mais que me digam que tenho de comer, e aumentar…posso conseguir nuns dias, mas no outro já não!

  2. Olá a todos. Ontem à noite fiz este pão que consumimos hoje ao pequeno-almoço. Gostei muito! Efetivamente não é doce, mas eu gosto assim. É um pão mais denso e talvez por isso ficamos satisfeitos com menos quantidade. Não sabe a côco, para o caso de os mais céticos ficarem na dúvida. Comi simples e torrado, e gostei de ambas as maneiras. A minha receita teve duas alterações: não encontrei manteiga ghee pelo que usei apenas manteiga sem lactose. Talvez por isso tivesse ficado mais seco e tive que adicionar mais um iogurte grego natural. Mas ficou ótimo. Penso que é uma boa alternativa para quem, como eu e a malta cá em casa, não consegue passar sem «pão» ao pequeno-almoço. Gostaria de pedir ao Pedro que divulgasse receitas semelhantes, se as conhecer, ou onde podemos encontrá-las, de modo a que possamos variar um pouco. Aproveito para acrescentar que entretanto, este fim de semana, adquiri o livro «Cérebro de farinha». Estou em fase de preparação para esta nova perspetiva da alimentação. Esta receita do pão foi fundamental e muda muita coisa: tentei o regime paleolítico e confesso que a única limitação que tive (só aguentando duas semanas) foi a restrição do consumo de pão especialmente ao pequeno-almoço. Obrigada, Pedro.🙂

    • Já agora Pedro, gostaria de saber a sua opinião sobre a alfarroba e a farinha de alfarroba. Hoje fiz esta sua receita, mas substituindo a farinha de coco por farinha de alfarroba (pura, e sem misturar com farinha de trigo, claro). O pão também ficou bom. A alfarroba também não tem gluten, mas tem muitos hidratos de carbono à conta dos açúcares da sua composição. Gostava de saber se é uma boa alternativa, ainda assim, ao pão de cereais, pois aqui no Algarve é abundante a sua comercialização. Obrigada. (deixo um link interessante: http://mundodaalfarroba.blogspot.pt/p/alfarroba-e-seus-beneficios.html)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s