5 Perguntas que deve colocar a si próprio antes de iniciar um Programa de Treino

mdp_push_up_900x600-640x426

A maioria das pessoas inscreve-se num ginásio com um objetivo em mente. Para quase todos, o objetivo é perder um pouco de peso e “tonificar um pouco”. Confesso que acho piada ao termo tonificar pela forma abusiva com que o mesmo é utilizado no mundo do fitness. Apesar de poder parecer um termo refinado, tonificar não é nada mais que perder massa gorda! E para perder massa gorda, eu não conheço uma combinação mais eficaz que dieta e treino. Você pode comprar os suplementos que quiser mas se você não toma conta destas duas coisas em primeiro lugar, você não vai ter os resultados que procura. O ano passado era as cetonas de framboesa que estavam na moda, este ano parece que é o café verde e os comprimidos brasileiros!

Todas as pessoas que pretendem perder peso devem ter a noção do seguinte: o nosso peso corporal é constituído por massa gorda e massa magra (orgãos, sangue, ossos, pele e músculo). Ter uma baixa percentagem de gordura corporal é saudável mas aquilo que é realmente importante é aumentar a massa magra e diminuir a massa gorda, isto é que é melhorar a composição corporal. As dietas loucas de perder peso rápido vão fazer com que você perca mais músculo que gordura, portanto se pensar que músculo é sinónimo de saúde e energia, é fácil chegar à conclusão que, mais tarde ou mais cedo, as pessoas que perdem peso rapidamente vão sofrer consequências.

A maioria das pessoas inscreve-se num ginásio com um objetivo em mente mas não sabe exatamente aquilo que precisa de fazer para atingir os objetivos que pretende. E isto é que é fundamental, ninguém deveria começar uma nova jornada sem saber onde pretende chegar. Isto é a mesma coisa que correr ou guiar sem destino – não funciona! Portanto, antes de iniciar um programa de treino, aquilo que eu recomendo é que pense bem nas seguintes questões:

1. Qual é o meu objetivo?

“O meu objetivo é perder peso”. Isto não é suficiente, o seu objetivo tem que ser mensurável, específico, exequível e tem que ser definido no tempo. Por exemplo, se o seu objetivo é perder peso, você precisa de definir quanto peso quer perder e em quanto tempo pretende fazê-lo. Se o seu objetivo é perder 10 quilos num mês, se calhar é melhor aguentar os cavalos e perguntar a um profissional competente se isso é possível e/ou se isso é o melhor para a sua saúde. É preciso ter a consciência que perder peso demasiado rápido pode ser prejudicial para si, ou seja, é possível perder peso sem ganhar saúde. Todas as pessoas têm um metabolismo diferente e existe um número grande de factores que podem condicionar a sua perda de peso (idade, sexo, nível de atividade física, dieta, estilo de vida, historial clínico e medicamentos utilizados, sono, suporte social). Para poder estabelecer objetivos reais, é preciso pesar estes factores, se você levou 30 anos a dar cabo do seu metabolismo, não espere conseguir grandes resultados em pouco tempo.

2. O que preciso de fazer para lá chegar?  

Definir objetivos é apenas a primeira parte do processo. A segunda parte diz respeito àquilo que precisa de fazer todos os dias (i.e. os seus comportamentos) para atingir os objetivos pretendidos. E é nesta parte que você precisa de se focar, não adianta dizer que quer perder cinco quilos num mês se você não consegue ou não tem possibilidades de fazer aquilo que é preciso fazer. Este processo faz toda a diferença e se você continuar a fazer aquilo que tem feito, sem mudar algumas coisas na sua vida e sem sair da sua zona de conforto, você nunca vai obter resultados significativos. Vá para a cama mais cedo, treine com maior determinação, coma alimentos mais frescos diariamente, consuma menos álcool, estes são apenas alguns comportamentos que pode começar a fazer para mudar a sua vida.

3. Estou disposto(a) a fazer aquilo que é preciso para alcançar os objetivos?

A falta de tempo é a desculpa mais comum que as pessoas sedentárias e obesas arranjam para justificar a falta de exercício físico nas suas vidas. Será mesmo que ninguém tem 30 minutos por dia para fazer algo pela sua saúde? Uma das ferramentas que utilizo no meu processo de avaliação é a disponibilidade para a mudança, aqui consigo ter a noção da escala a que uma pessoa está disposta a fazer algumas mudanças na sua vida, isto é importante para saber aquilo com que vou contar durante o meu processo de coaching. Deixe-me confidenciar-lhe uma coisa: os treinadores, por muito bons que eles sejam, não fazem milagres se você não os ajudar. Se você arranjou tempo para ficar obeso, você também arranja tempo para emagrecer. Aliás, para ficar obeso, você precisou de investir muito mais tempo. Qualquer que seja o seu objetivo, não é suficiente treinar e/ou comer bem uma vez por semana!

4. Sinto-me confiante com o método de trabalho apresentado?

Imagine que você quer perder peso e o seu treinador diz-lhe que precisa de passar x horas na bicicleta ou na passadeira por dia e que precisa de fazer 20 repetições em todas as máquinas do ginásio. Se você não acredita que isto é o melhor para si, você nem deve começar. Antes de iniciar um programa de treino, você deve procurar saber as razões pelas quais a metodologia apresentada é a que lhe pode trazer melhores resultados. Peça explicações, questione e faça uma lista com todas as suas dúvidas. Você só deve seguir as orientações que lhe são dadas apenas e só se confiar na pessoa que está à sua frente. E não se limite apenas a ouvir as suas palavras. Eu tenho uma filosofia de trabalho exigente e só confio verdadeiramente naquelas pessoas que fazem aquilo que dizem (em inglês isto chama-se o walk the talk), aquelas pessoas que dizem “faz o que eu digo e não o que eu faço” não são as minhas referências. Em condições normais, se retirarmos as pessoas que têm verdadeiros problemas de saúde, nós somos aquilo que fazemos todos os dias. Portanto, da mesma forma que eu não me sentiria motivado para ir à consulta com um dentista com os dentes podres, eu também não me sentiria motivado para consultar um treinador em má forma.

5. Que perfil de treinador procuro?

Você decidiu que precisa de alguém para lhe orientar neste processo e para lhe ajudar a mudar a sua vida. Primeiro que tudo, tente saber o máximo possível sobre a pessoa em causa. Não apenas os seus conhecimentos técnicos, mas sobretudo a sua mentalidade, a sua filosofia / metodologia de trabalho, a sua experiência, a sua atitude e as suas características enquanto pessoa. Dependendo também do seu perfil (i.e. o perfil do leitor), estas questões são tão ou mais importantes que os seus conhecimentos técnicos. Se você vai passar algumas horas com esta pessoa durante a semana, convém saber que você não escolheu um idiota sem sentido de humor e que tem imensas dificuldades em relacionar-se com as pessoas. Ao nível técnico, se você procura resultados de classe mundial, procure por profissionais sérios, exigentes, interessados, procure por profissionais que estejam dispostos em ajudá-lo(a) da forma que precisa e merece.

Tente pensar um pouco nestas questões antes de inciar um programa de treino, penso que poderão ajudá-lo(a) a tomar melhores decisões no futuro.

Até breve!

3 thoughts on “5 Perguntas que deve colocar a si próprio antes de iniciar um Programa de Treino

  1. Mais um excelente artigo, Questiono apenas quando afirmas: ” tonificar não é nada mais que perder massa gorda!” não será: “Definição não é nada mais que perder massa gorda!” ? e quando falam em Tonificação: “tonificação não é nada mais que ganhar músculo”?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s